Estado de Goiás

Encontro de Gestores| "Na sala de aula quem faz a diferença é o professor. Na Instituição, o gestor"  

Com o objetivo de aproximar reitoria, pró-reitorias e novos diretores da Universidade Estadual de Goiás (UEG), foi realizado nesta semana o Encontro de Gestores – Quadriênio 2018-2021. O evento, que teve duração de três dias, foi encerrado na tarde desta quinta-feira, 25, e propiciou um diálogo sobre os anseios e prioridades dos diretores com relação aos Câmpus e à gestão da Universidade como um todo. Os dois últimos dias de Encontro foram realizados no Câmpus Pirenópolis.

Para reforçar a integração e a união dos gestores para a consolidação da Universidade, foi criada uma logomarca para o evento. A analista administrativa e designer do Centro de Comunicação Institucional da UEG, Camila Moura, responsável pela idealização da marca, explicou aos participantes que a ideia da logo é expressar o estreitamento de relações entre os gestores da Universidade de forma cíclica.

“Cada gestor é um agente de formação e desenvolvimento da UEG. Uma equipe, ainda que geograficamente separada, com planejamento e trabalho, consegue ser forte e construir uma universidade de Excelência”, destaca.

Após dar as boas-vindas aos presentes, o reitor da UEG, Haroldo Reimer, ressaltou a importância do gestor dentro da Universidade. “Na sala de aula, quem faz a diferença é o professor. Na Instituição, quem faz a diferença é o gestor”, relata.

Ele ainda explicou que quanto mais parcerias existirem entre todos os entes da Universidade, mais proveitosos serão os resultados para o público-alvo, o aluno. “Nós, gestores, professores e técnicos não temos finalidade sem os discentes. Existimos em toda a mecânica institucional para que lá, na sala de aula, o processo de ensino-aprendizagem ocorra com qualidade e com foco nos resultados”, reitera Reimer.

Para o presidente do Conselho Estadual de Educação, Marcos Elias, presente no evento, uma instituição do porte da UEG não nasce pronta, é uma construção social. “Nós não podemos perder aquilo que levou à criação da Universidade, que é responder aos anseios e expectativas da sociedade, dialogar com as populações locais”.

De acordo com o diretor do Câmpus Anápolis de Ciências Sócio-Econômicas e Humanas, Ewerton Freitas de Castro, momentos de integração como o Encontro de Gestores são de suma importância não só para que os diretores e a reitoria afinem o trabalho, mas para que os gestores destaquem as potencialidades e também limitações de seus Câmpus.

Como diretor de primeiro mandato, ele destacou que, no evento, pôde dimensionar os desafios que o aguardam e também como melhorar sua forma de trabalhar. Para ele, pelo viés da comunicação e cooperação entre os gestores é possível que se construa uma UEG cada dia mais forte. “Às vezes não sabemos a realidade de um câmpus muito próximo e isso precisa mudar. Temos que trabalhar em conjunto, promover cursos, minicursos, eventos extensionistas que agreguem outros Câmpus”, exemplificou,

Abertura

No sentido de integrar os presentes e leva-los a reflexões sobre o trabalho que desempenham e também sobre suas próprias vidas, antes da palestra de abertura foi realizado um momento motivacional com o palestrante e educador, Júlio César Franco. Com o tema “O ser que queremos ser”, ele apresentou histórias, passagens, metáforas que levaram os presentes a refletirem sobre que tipo de trabalho estavam desenvolvendo e sobre o nível de comprometimento para com as atividades desempenhadas.

Além disso, Júlio César destacou a importância do autoconhecimento tanto para a vida pessoal quanto para a profissional.

Logo após foi a vez do deputado federal, Giuseppe Vecci, proferir a palestra de abertura. Durante a palestra, cujo tema foi “Os desafios da gestão na Universidade”, ele explanou um pouco sobre o cenário econômico e político do País e sobre a atual incapacidade do setor público de ofertar bens e serviços.

Para ele, o maior objetivo do gestor público é ser útil às pessoas, atender à população. “A gestão pública deve mudar, os políticos não podem mais esperar apoio a partir da dependência da população”, destacou.

O deputado afirmou que não dá para os estados pegarem todo o orçamento de uma Instituição é investir em folha de pagamento apenas. “Tem que sobrar dinheiro dos impostos arrecadados para investimentos, para gerar retorno para nossa clientela, o aluno”, enfatiza Vecci.

Para ele, o crescimento qualitativo da UEG passa certamente por investir e devolver o que é aplicado nela. “Hoje, o que avalia uma escola ou faculdade, pública ou privada, é o aprendizado do aluno. Se o aluno aprendeu, a universidade desempenhou um bom papel”, ressaltou ao explicar que não dá para as faculdades serem apenas fábricas de diplomas, que acabam por não ensinarem realmente uma profissão.

Ele ainda reiterou sobre a importância de não se esperar apenas a reitoria para a resolução de problemas, mas desenvolver formas criativas de solucionar impasses. Vecci destacou que é de fundamental importância que os diretores dos Câmpus se somem ao reitor para a captação de diferentes fontes de recursos para que cada vez mais investimentos sejam feitos na Universidade.

Diretrizes

Durante a tarde, Haroldo Reimer explicou aos presentes as principais diretrizes e prioridades da Universidade, além de apresentar a estrutura, organização e dinâmica de funcionamento da UEG. Ele orientou os gestores a treinarem o olhar para enxergarem as reais necessidades de seus Câmpus e procurarem formas criativas de solucionarem as questões.

Ele destacou que é preciso ter zelo para com a marca da UEG, já que ela gera valor à Universidade. Também afirmou que é de suma importância o planejamento da gestão, no entanto, deve ser um planejamento factível, com metas e realizações possíveis a cada período proposto.

O reitor ainda reiterou a respeito da estabilidade institucional alcançada pela UEG ao longo dos anos e explicou sobre a responsabilidade do trabalho de cada um para que ela seja cada vez mais sólida.

Rodas de Conversas

Durante parte da tarde da quarta-feira, 24, os diretores foram separados em grupos para a realização de rodas de conversas. Na oportunidade, puderam explanar sobre suas expectativas e perspectivas com relação à demanda de cada um de seus Câmpus.

O momento também serviu para que fossem estreitadas as relações entre os membros dos grupos no sentido do compartilhamento de experiências. Ao final do evento, uma síntese de tudo o que foi levantando pelos diretores foi apresentada.

O início da manhã desta quinta-feira, 25, foi dedicado às pró-reitorias, que se apresentaram aos diretores. Cada pró-reitor discorreu sobre os objetivos e trabalhos desenvolvidos em suas pró-reitorias e se colocou à disposição para auxiliar os novos diretores.

Para a diretora do Câmpus Pirenópolis, Nadja Naira de Sousa, o Encontro de Gestores foi de suma importância para a troca de experiências entre os diretores. Ela está em seu segundo mandato e explicou que as realizações de um gestor podem servir de ajuda para outros Câmpus e de solução para problemas de outras localidades.

Ao final do evento, o reitor da UEG, Haroldo Reimer, se mostrou animado com as discussões fomentadas no Encontro. O evento ainda terá uma continuação na próxima semana quando os novos diretores visitarão o prédio da Administração Central, em Anápolis, para conhecer cada um dos departamentos, bem como as atividades desenvolvidas por eles.

 

(Núbia Rodrigues| CeCom| UEG)

 
Notícia publicada em 25/01/2018
BR 153 Quadra Área, Km 99, Anápolis-Goiás